Cristo em mim

Últimas

O LÍDER DE LOUVOR PODE FAZER ALGUÉM ENTRAR NA PRESENÇA DE DEUS?

Portanto irmãos, temos ousadia para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, Pelo novo e vivo caminho que ele nossa abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo.“ (Hebreus 10:19,20)

Ao meditar neste texto com mais atenção e dedicação, percebi que por muito tempo tive um entendimento um pouco equivocado quanto ao nosso papel na liderança do louvor e adoração congregacional.

Lidero momentos de louvor na igreja local já há alguns anos e confesso que por muito tempo pensei que umas das minhas maiores, senão a maior, responsabilidade era levar à congregação à presença de Deus em adoração. Pensava que, enquanto liderávamos, estávamos com a responsabilidade de, por meio de minha condução, da meus talentos e músicas escolhidas, levar adoradores à maravilhosa presença de Deus.

Ao compreender melhor, com auxílio do Espirito Santo, o texto de Hebreus 10, além de outros textos como Romanos 5:17-21 e João 14:6, e, aplicando à nós músicos e líderes de louvor e adoração, percebi que havia entendido um pouco equivocado essa nossa atribuição no momento em que conduzimos o período de louvor (musical).

Conclui que, definitivamente, não podemos levar ninguém à presença de Deus, e o pior, que às vezes queremos nos colocar como sumo sacerdotes da velha aliança, ou seja, intermediários, ou até achamos que nossa música irá levar à igreja aos Santo dos Santos. Vou explicar melhor a seguir.

Sabemos que no Antigo Testamento, ou na velha aliança, nenhum adorador, por mais correta que fosse sua vida ou mais sincero que fosse seu coração, teria a ousadia de entrar no Santo dos Santos (representando a presença de Deus), esse privilégio ou responsabilidade era ultra restrito, sendo apenas do sumo sacerdote e, ainda assim, somente uma vez por ano. Um véu (cortina de tecido) separava o Santo dos Santos para que, com exceção desse sumo sacerdote, ninguém ali entrasse.

O texto de Hebreus 10:19 inicia-se com a conjunção conclusiva: “portanto”, utilizada para indicar a conclusão de uma ideia anterior, que seria a afirmação de Jesus como o Sumo Sacerdote perfeito e Seu sacrifício como o sacrifício definitivo, não havendo mais necessidade de um sacerdote que oferecesse anualmente um sacrifício para nossa adoração. Continuando no versículo 19, o escritor de Hebreus afirma que hoje temos a ousadia ou intrepidez para entrarmos na presença de Deus para o adorar. A palavra traduzida aqui para intrepidez (parrêsia) é a confiança que o homem passa a possuir por meio da liberdade que hoje adquiriu por causa de seu novo relacionamento com Deus. Isso por consequência da obra redentora de Jesus Cristo, por meio de seu sangue derramando de uma vez por todas por nossos pecados. Somente por meio de seu sangue, hoje, os verdadeiros adoradores podem entrar na presença de Deus, e mais que isso, Deus vem habitar em cada um.

Hoje vemos que muitos de nós líderes indiretamente (ou intencionalmente) achamos que somos intermediários (no lugar de Jesus), nos colocando no caminho (como que por nosso mérito) entre àqueles que chegam para adorar e o próprio Deus. Acreditamos que, por meio de nossos ofícios e ministério, podemos ou temos a responsabilidade de aproximar os adoradores de Deus. Fazendo isso anulamos a obra de Jesus em nosso favor e em favor de todos àqueles que desejam se aproximar da presença de Deus. Precisamos entender que o único meio de alguém se achegar a Deus é Jesus e sua obra de redenção.

É claro que não fazemos isso de propósito (pelo menos acredito que a maioria dos líderes não o faz). Creio que o que se deseja é que a congregação adore a Deus e entre em Sua presença. Nos esforçamos para isso: preparamos o melhor repertório possível, ensaiamos bem, oramos, pedimos para as pessoas levantarem as mãos na hora do louvor, abrirem o coração para Deus, cantarem bem alto, citamos versículos, etc. Quem nunca ouviu (ou falou) a famosa frase: “Esqueça tudo ao redor e concentrem-se em Deus”? Imaginamos que assim entrarão na presença de Deus. Mas, vemos através de Sua palavra que somente por meio do sangue de Jesus que qualquer pessoa poderá entrar na majestosa, doce e incomparável presença de Deus.

Se não podemos levar ninguém a presença de Deus, qual a nossa maior responsabilidade então como líder de louvor e adoração nesse processo? A mesma que temos em qualquer outro ministério que exercemos: devemos apontar para aquele que é o caminho à presença de Deus, Jesus. Devemos apontar para o meio pelo qual o véu do Santo dos Santos se rasgou e nos reconciliou com Ele de uma vez por todas, seu precioso sangue derramado na cruz do calvário. Precisamos evidenciar a vida e a obra de Jesus. Precisamos refletir Jesus em nós em tudo o que fazemos. Ele é o único caminho, a verdade e a vida. Ninguém pode chegar a Deus se não for pelo único caminho que é Jesus (João14:6). Ninguém adora a Deus se não for em verdade (João 4:23), e a verdade é Jesus. Ninguém pode ver o Reino de Deus se não nascer de novo, morrer para si mesmo e receber a vida eterna, e essa vida é o próprio Jesus (João 3:3).

Podemos ser músicos ou líderes de louvor, mas primeiramente somos representantes de Cristo (II Coríntios 5:20). Fomos crucificados com Cristo e hoje Ele vive em nós (Gálatas 2:20). Tudo depende dEle, mas muitas das vezes estamos tentando fazer com que as pessoas se acheguem a Deus por nosso mérito, esquecendo que é somente por meio de Jesus. Temos o ministério da reconciliação, conforme Paulo bem explica em II Coríntios 5, dos versículos 11 em diante, mas está claro no texto que a obra e o mérito é de Jesus, fomos reconciliados por meio dEle (II Cor 5:18) e hoje somos apenas instrumentos para suplicarmos que somente por amor a Cristo, as pessoas podem se reconciliar com Deus.

Durante o período de louvor, preciso ter isso em mente. Preciso saber que não é a minha bela voz, a minha música, o talento musical ou minha desenvoltura que levará alguém a presença de Deus. Preciso apontar sempre para Cristo e depender de Sua vida em mim, pois Ele é quem dá a confiança que todos precisam para entrar na presença de Deus. Através de nossa liderança no período de louvor, devemos levar nossas congregações ao verdadeiro entendimento de quem Jesus é, pois assim reagirão de acordo com esta revelação e então o período de louvor será fruto de corações que O adoram verdadeiramente, de pessoas que estão em Sua presença, não por minha causa, mas por causa de Jesus.

Em Cristo,

Daniel Lucas

Anúncios

UMA COISA É NECESSÁRIA

Uma coisa pedi ao Senhor, é o que procuro: que eu possa viver na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do Senhor e buscar sua orientação no seu templo” (Sl 27:4)

…todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada” (Lc 10:42)

Pouco mais de 1000 anos separam estas passagens, o primeiro é um dos belos salmos do Antigo Testamento e o outro é parte uma passagem bem conhecida onde as irmãs Marta e Maria recebem Jesus em casa em Betânia.

Embora a época, o cenário, a situação e os personagens sejam bem diferentes, ambos os textos revelam algo de muito especial em comum, algo que Deus deseja ver em nós. A primeira passagem é parte de um dos salmos escritos pelo rei Davi enquanto sofria perseguição por seus inimigos. Apenas uma coisa ele deseja no meio daquela adversidade: estar com Deus. Assim como no salmo 63:1 (situação semelhante), Davi revela sua sede pela presença de Deus. No segundo texto vemos uma resposta de Jesus à Marta. Esta estava muito atarefada e preocupada em receber bem o hospede, o próprio Jesus. Mas isso a levou a murmurar e questionar porque Maria não a ajudava com as tarefas da casa ao invés de estar sentada aos seus pés somente o ouvindo. Jesus então responde que apenas uma coisa seria necessária e que Maria já havia escolhido essa parte.

Davi ansiava por estar na presença de Deus o ouvindo e Jesus confirma que este deve ser também nosso maior desejo. Deus deseja ser buscado, deseja ser apreciado mais que tudo. Precisamos ter cuidado de não permitir que as muitas preocupações, afazeres, religiosidade ou qualquer outra coisa nos tirem a simplicidade de sentarmos e O ouvirmos. Deus quer encontrar em nós aquele brilho nos olhos por estarmos em sua presença, um amor sincero, uma sede por encontra-lo e um desejo sincero em ouvir sua voz.

Certamente temos muitas preocupações e prioridades, mas uma coisa é necessária, é a melhor parte e, se a escolhermos, jamais nos será tirada.

buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o coração” (Jr 29:13)

Daniel Lucas

PROJETO MUITAS VOZES – PELO FIM DO ABUSO INFANTIL 

Toda violência contra uma criança ou adolescente é terrível e inaceitável. O abuso sexual causa sequelas nas emoções e no piscicológico que se arrastam por anos.
Segundo o Ministério dos Direitos Humanos, em 2016 foram registradas mais de 15.700 denúncias de abuso sexual contra crianças e adolescentes em todo o país, pelo Disque 100 do Governo Federal. Só na Grande Vitória/ES foram 1.050 inquéritos relatados e concluídos, segundo a DPCA do ES.

Quem se importará com a dor destas crianças? Se não fizer algo, quem irá?
Não se cale! Se perceber algo ou souber de algum abuso que esteja acontecendo, denuncie através do Disque 100.

Uma música está sendo vendida para que possa arrecadar recursos para fazer um material de divulgação contra o Abuso Infantil para ser distribuído gratuitamente em escolas. Esse material será em uma linguagem para que crianças identifiquem que possam estar sendo abusadas e também saber a quem recorrer. Um projeto que nasceu de uma necessidade de jogarmos luz sobre uma situação tão triste que infelizmente ainda existe de forma alarmante em nossa nação.

Ela está disponível para compra no Google Play ou no iTunes. O valor é de R$ 1,99 e está com o nome de “Quem irá Importar?” (Daniel Lucas Almeida)

 

Google Play:

hpttps://play.google.com/store/music/album?id=Btptag7kvfzj6fpoy42ojohkney

ITunes:

https://itun.es/br/zzJWlb

Spotify:

https://open.spotify.com/album/1WW5jXxXQ3zIgaIG937IST 

 

Se você puder, compartilhe essa mensagem! Muitas vozes clamam, mas muitas vozes podem ajudar a trazer esperança novamente.

 

“Que a esperança seja um hino. Nossa atitude a canção”!



Ficha Técnica da Música:

Letra: Daniel Lucas M. Almeida

Música: Pedro Assunção

Produção, Arranjo Musical, Mixagem, Masterização, Violão e Teclado: Bruno Pividori

Voz principal: Daniel Lucas Almeida e Camilla Passos

Backing vocal: Camilla Passos, Heviny Moura e Alexandre Pinheiro

Solo de Violão: Pedro Assunção

Violino: Heviny Moura

 

Para mais informações e para ajudar:
contatodaniellucas@yahoo.com.br

Precisamos ser UMA RESPOSTA ao AMOR de Deus

“Estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades, nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura nos poderá apartar do amor que Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Romanos 8:38,39)

DEUS É AMOR (I João 4:8) e nada pode nos separar deste amor. Que maravilhoso é podermos descansar nesta verdade e recebermos deste amor incomparável e indescritível! A entrega de Jesus foi a maior prova do amor incondicional de Deus, conforme diz a carta de Romanos: “Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores.” (Romanos 5:8). Até hoje suas promessas, palavras e ações de amor ecoam em nossos corações e mentes. E sabemos que eternamente esse amor permanecerá sobre nós e em nós, pois assim com Deus é eterno, seu amor também é.

Mas, podemos apenas nos contentar em compreender essa verdade, usufruir desse amor e ficar satisfeitos? A resposta correta seria não! A palavra de Deus nos mostra que esse entendimento deve, ou ao menos deveria, nos levar a ter uma vida que seja como UMA RESPOSTA a esse amor tão grande e único.

Ser UMA REPOSTA a esse amor é muito mais que cantar uma música, ser membro de uma igreja ou participar de um ministério, vai muito além, requer uma vida entregue por completo, é ter um vida de submissão, obediência e devoção a Deus.

Ser UMA RESPOSTA ao amor de Deus começa por entender o sacrifício da cruz, receber esse amor que “nos amou de tal maneira que nos Deus seu único Filho” (João 3:16), mas não para aí, pois, mediante a revelação desse amor, viver uma vida que faça valer esse sacrifício de Jesus. “E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.” (II Corintio 5:15)

Ser UMA RESPOSTA ao AMOR de Deus é se esforçar para guardar a unidade da igreja, servindo, amando e perdoando uns aos outros. “Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo”. (Efésios 4:32). “Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos” (I João 3:16).

Ser UMA RESPOSTA ao amor de Deus é viver por Ele, é desejar agradá-lo em tudo, honrá-lo e dar continuidade a obra que Ele veio fazer na Terra, fazendo discípulos e espalhando o reino de Deus. “…para que vocês vivam de maneira digna do Senhor e em tudo possam agradá-lo…” (Colossenses 1:10). “Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por Ele vivamos.” (1 João 4:9).

Ser UMA RESPOSTA ao amor de Deus é ser capaz de assim como Jesus ler Isaías 61:1-2 e assumir o mesmo desafio: “O Espírito do Senhor é sobre mim, pois Ele me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração, a apregoar liberdade aos cativos, a dar vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor” (Lucas 4:16-20).

Paulo na carta aos filipenses nos lembra de que precisamos ter a mesma atitude que houve em Jesus, que se humilhou, se submeteu e foi obediente em todos os momentos. “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus” (Filipenses 2:5-8). Mas, como posso eu, pecador, cheio de erros, ter o mesmo sentimento de Jesus em obediência e submissão a vontade de Deus?

A resposta está em Gálatas 2:20: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim”. Só é possível termos o mesmo sentimento que havia em Jesus, e por consequências as mesmas atitudes, se permitirmos que a nossa natureza humana morra e Ele viva em nós. É nos despirmos do velho homem e nos revestirmos de Cristo Jesus.

“Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos,E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade;
Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.” (Colossenses 3:9,10,12 e 13)

Deus deseja que nos pareçamos com Jesus e planejou isso para cada um de nós. “Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” (Romanos 8:29).

Com a vida de Cristo em nós, podemos ser UMA RESPOSTA ao AMOR de Deus, fazermos valer o Seu sacrifício e ter uma vida que glorifica a Ele. “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação.” (2 Coríntios 5:17,18).

Deus “nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor, em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados” (Colossenses 1:13,14) não apenas para descansarmos em seu amor, mas fomos comprados por um alto preço para também vivermos para Sua glória e Seu louvor. “Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.” (1 Coríntios 6:20)

O amor de Deus requer de nós uma resposta, uma ação genuína e verdadeira de quem recebeu esse amor e deseja viver para agradá-Lo, seguindo o seu exemplo, espalhando Sua vida e compartilhando desse amor maravilhoso e singular. “Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.” (João 13:15)

“Nós amamos a Deus porque Ele nos amou primeiro… e dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão.” (1 João 4:19,21)

Fomos reconciliados para reconciliar, fomos perdoados para perdoar, fomos alcançados para alcançar, fomos amados para amar. Com a vida de Jesus em nós podemos ser UMA RESPOSTA ao grande AMOR de Deus, com menos discursos e religiosidade, e com mais ação e uma vida de inteira devoção, submissão, obediência e amor. Não só podemos, mas devemos ser, por meio de Cristo Jesus, a resposta que Deus deseja para mudar e marcar a nossa geração, mediante a mudança e a marca que Ele fez em nossas vidas através de Seu grande amor por nós, pois “…a criação aguarda ansiosamente a manifestação dos filhos de Deus” (Romanos 8:19).

E você? Tem sido UMA RESPOSTA ao grande AMOR de Deus?

Daniel Lucas

 

Nasceu o Redentor!!

Relembrando o vídeo gravado no natal de 2014, quando me senti muito honrado pelo convite, com meu amigos Lucas Naiana Amorim, Alessandra Rangel e Weslei Santos, anunciando, através da releitura desse belíssimo hino, o nascimento de Jesus que representa a vinda do Filho de Deus para nos redmir e nos salvar! Essa mensagem não é valida apenas para o natal, mas sempre…e hoje me lembrando disso, meu coração se encheu de alegria e gratidão mais uma vez.

Espero que, neste dia, ao se lembrar da vida e obra de Jesus seu coração também se encha de gratidão e alegria!

Ministério de Louvor = Ministério da Reconciliação

Nós ministros de louvor precisamos entender que nosso maior e principal ministério não é o de música, mas o de reconciliação. Nossa música deve reconciliar o homem com Deus. Temos uma mensagem que não podemos ignorar. Ofereçamos mais que apenas música, ofereçamos a reconciliação com Deus através de Cristo Jesus. 

“Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas! Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não levando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação. Portanto, somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o seu apelo por nosso intermédio. Por amor a Cristo suplicamos: Reconciliem-se com Deus.” II Cor 5:17-20

Família no padrão de Deus

O mês de Maio é conhecido como o mês da família. Ótima oportunidade para refletirmos sobre sua importância. Embora muitos tentem desconstruir o valor e o padrão da família, ela continua sendo o bem mais precioso que Deus nos deu para cuidar e um meio fantástico pelo qual como podemos revelar o caráter de Cristo Jesus.

Vamos ser: Maridos que amam as esposas como Cristo amou a igreja e que cuidam delas com vaso mais frágio (Ef 5:25-32, Cl 3:19 e I Pe 3:7), Esposas auxiliadoras que respeitam e se submetem e aos seus maridos em amor (Ef 5:22-24, Cl 3:18 e I Pe 3:1-3), Filhos que obedecem e honram seus pais (Ef 6:1-3, Cl 3:20 e Pv 1:8) e Pais que não provocam a ira nos filhos mas educa-os de acordo com a disciplina e o conselho do Senhor (Ef 6:4 e Cl 3:21). Assim seremos famílias estruturadas e que resistem ao tempo e às dificuldades.

Todos nós podemos ter errado, mas se nos submetermos à Deus e sua palavra podemos viver um novo tempo. Reflitamos e vejamos o que precisamos concertar ou melhorar para alcançarmos e padrão de Deus e sermos uma familia verdadeiramente feliz e segundo o coração dEle!

O mundo não pode definir o padrão da família nem mesmo dizer que não existe padrão, pois o mundo muda constantemente e junto com ele os seus valores e interesses. Fiquemos com o padrão da palavra de Deus, justa, imutável e eterna.

Não existe real felicidade longe do padrão de Deus!

Daniel Lucas